28 de fevereiro de 2008

Como Nossos Pais

28 fevereiro Escrito por Eliude Santos , 15 comentários

Não lembro a primeira vez que eu ouvi esta canção, mas a maneira tão forte e apaixonada com que ela foi interpretada despertou em mim um senso de seriedade diante da vida, bem como fez-me perceber o grande desafio da inovação.
    Como Nossos Pais
    Não quero lhe falar, meu grande amor, das coisas que aprendi nos discos;
    quero lhe contar como eu vivi e tudo o que aconteceu comigo.
    Viver é melhor que sonhar. Eu sei que o amor é uma coisa boa;
    mas também sei que qualquer canto é menor do que a vida de qualquer pessoa.
    Por isso, cuidado, meu bem, há perigo na esquina!
    Eles venceram. E o sinal está fechado pra nós que somos jovens.
    Para abraçar seu irmão e beijar sua menina na rua
    é que se fez o seu braço, o seu lábio, e a sua voz...
    Você me pergunta pela minha paixão.
    Digo que estou encantada com uma nova invenção.
    Eu vou ficar nesta cidade. Não vou voltar pr'o sertão.
    Pois vejo vir vindo, no vento, o cheiro da nova estação.
    Eu sei de tudo, na ferida viva do meu coração...
    Já faz tempo, eu vi você na rua: cabelo ao vento, gente jovem reunida.
    Na parede da memória, essa lembrança é o quadro que dói mais.
    Minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo o que fizemos
    ainda somos os mesmos e vivemos...
    Ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais...
    Nossos ídolos ainda são os mesmos; e as aparências não enganam não.
    Você diz que depois deles não apareceu mais ninguém.
    Você pode até dizer que eu tô por fora; ou então, que eu tô inventando.
    Mas é você que ama o passado e que não vê...
    É você que ama o passado e que não vê que o novo sempre vem.
    Hoje eu sei que quem me deu a idéia de uma nova consciência e juventude
    tá em casa, guardado por Deus, contando vil metal.
    Minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo, tudo, tudo o que fizemos,
    Nós ainda somos os mesmos e vivemos...
    Ainda somos os mesmos e vivemos...
    Ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais.
Numa época difícil na história de nosso país, Elis Regina levantou sua voz em favor da liberdade e renovação, usando a empatia em detrimento da militância para levantar sua bandeira em prol "da compreensão, do encontro e do entendimento entre as pessoas". Considerada uma das maiores cantoras brasileiras de todos os tempos, nunca houve uma intérprete com tanto carisma. As interpretações apaixonadas, a enorme popularidade, o temperamento explosivo e a morte prematura, aos 36 anos, por overdose de cocaína e álcool, fizeram de Elis um mito. E, enquanto muitas Marias e Clarices choravam sua morte, a "Pimentinha" embarcou num brilhante trem azul e saiu em busca de seu sol maior, deixando conosco a eternidade de seu canto pelas coisas e pela gente de nossa terra.
"Como Nossos Pais", poesia composta por Belchior, é um hino à uma juventude que amadurece percebendo que o mundo é uma constante, porque é feito de homens que se acomodam e de outros que lutam por mudança. E, nessa balança oscilante, esses últimos vestem de uma nova cara a mesma velha história que os outros já viveram.
Não sei se quebrarei a corrente. Não sei se com minha geração será diferente. Mas sei que vale a pena ouvir a música e vestir-se de coragem pra pelo menos arriscar.

15 comentários:

  1. Muito interessante...
    Parabéns.

    Salve a MPB!!!

    ResponderExcluir
  2. Essa música é muito boa, ela trouxe na época algo muito bom aos jovens que ali estavam...


    parabéns pela postagem, espero sempre passar por aqui e ver sempre você pelo meu blog

    obrigado pelo comentário lá

    abraços

    ResponderExcluir
  3. Olha... Veja as pessoas que um dia foram filhos e hoje são pais.

    Quando filho, sempre questionamos o tipo de educação que tivemos e o tipo de relação que nossos pais estabelecem para conosco.

    Passamos esta fase toda achando que eles estavam errado em tudo, e nós estávamos certos.

    Aí nós crescemos, nos apaixonamos. Desta paixão vem o amor, que traz um casamento e filhos... Nossos filhos.

    É a hora que trocamos os papéis.
    E principalmente, vamos encontrar naquele ser que saiu de dentro de gente (da barriga da mãe e "do pinto do pai), tão amado e tão querido, a pessoa que mais vai questionar nossas atitudes para com ele.

    A vida é um ciclo. Graças a Deus!!!

    ResponderExcluir
  4. MPB é um estilo musical que sempre existirá, o problema é que está meia que em falta de boas músicas, mas as grandes músicas, os grandes cantores de MPB pode salvar esse estilo e sempre será lembrado.

    Curti o post anterior sobre Fonte da Vida, inclusive comentei e mencionei isso no orkut.

    abs

    ResponderExcluir
  5. canção linda... não me lembro tbm a primeira vez q ouvi, mas sempre me simpatizei com ela!
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  6. Que lindo Eliude!! Linda Musica, forte! Nossa li isso tudo ouvindo ela, emocionante!!

    ResponderExcluir
  7. MUito bom o post

    essa é uma dakelas músicas que na primeira vez em que ouvimos ja nos apaixonamos, e não importa quantas vezes a ouçamos nunca enjoamos, e Elis eh uma diva da MPB!!!

    muito bom mesmo!!!

    ResponderExcluir
  8. Grande Elis Regina, grande Belchior, mas uma pergunta que me faço, porque manifestações como essas não ocorrem mais, pois o ambiente repressivo está ai, mesmo que bem mascarado.


    Abraços
    aurasacraafames.blogspot.com
    Por uma sociedade diferente!

    ResponderExcluir
  9. 100musicasbrasileiras.blogspot.com


    essa música está lá, dê uma olhada, o comentário escrito pelo Eliude também está lá.

    Parabéns Eliude, conseguiu em poucas palavras explicar uma canção tão genial.

    ResponderExcluir
  10. Muito interessante seu post. Estou pesquisando sobre essa música para gravar um vídeo e postar em meu blog um humilde cover desta música e as informações postadas por você foram muito úteis em minha pesquisa.

    ResponderExcluir
  11. gosteei muuito do blog...to seguindo !

    ResponderExcluir
  12. meu site é www.amaralstarlight.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Compartilhe esse artigo em suas redes sociais e aproveite este espaço para registrar seus pensamentos sobre esta postagem.